Author

Amee Skate Arte

Browsing
 ” FRAGMENTOS “
Esse é o título do documentário sobre a história do skate feminino brasileiro produzido pela Emilie Souza ” Pipa”.
O documentário traz narrativas desde os anos 70 até os dias atuais, de mulheres que andaram de skate e além disso, fomentaram a cena do skate feminino com suas mídias independentes. Essas mulheres fizeram movimentos que possibilitaram que nós estejamos vivendo esse momento atual do skate, da melhor forma possível.
Cabe a nós não encerrar a luta por aqui e continuar reivindicando o que é nosso.
Espero que as narrativas desse documentário te traga alguma inspiração – ( Pipa Souza)
Foi lançado no dia 26/03/22 na Bowlhouse em SP com a presença de muitas skatistas  de varias gerações.
No elenco, mulheres de varias gerações que contaram um pouco das suas vivências e contribuições ao skate :
 Eliana Sosco  (@elianasosco  )  , Estefania Lima (@estefanialima ), Evelyn Leine ( @evelynleine ) ,
Grazi Oliveira ( @grzlvr ), Karen Jones (@karenjonz ), Liza Araújo ( @liz_angeles ),
 Maria Elaigne ( @mariaelaigne.ferreira), Marta Linaldi ( @mrlinaldi ), Monica Polistchuk  (@monicapolistchuk ), Patiane Freitas ,  Emilie Souza (@pipasouza ),
Priscila Morais ( @skativista ), Tat Marques (@tat_marques ) e Tháyna Gonçalves (@thaynagclvs ) .

O skate feminino precisa de documentar sua historia que começou antes da década de 70. E melhor ainda se for produzido por mulheres!  Muitas coisas aconteceram para fortalecer e deixar o skate feminino forte como é hoje em dia.
Trabalho árduo com lutas ,desafios e  muita força. E claro….amor!

Obrigada Pipa e a todas as mulheres que fizeram o skate ser como ele é hoje !!!
Keep pushing!

Confira as fotos de como foi essa grande festa.

Luddy Lourenço, da equipe da Amee, fazendo uma tatto com a Gabi ( @gabirinja )

 

Evelyn Laine
Amee Skate presente! Joao Lucas, Tat Marques e Luddy Lourenço
Catarina Hu
Pipa Souza sorteando brindes.
Monica Polistchuk
Público atencioso

Skate feminino

Fotos por: @me.vinyreis e @rawskate

 Confira o documentario  completo :

 

Mais:
Into the Mirror

O sucesso de uma sessão depende muito das peças que você escolhe para montar o seu carrinho. Shapes, trucks, rolamentos, rodas e lixas são peças essenciais e precisam de uma atenção especial na qualidade e no desempenho. E o shape é a parte mais importante desse combo!

Os shapes ( também conhecidos como boards ou decks)  são aquelas pranchas sobre as quais apoiamos os nossos pés. Dentre os variados materiais que compõem os shapes, os mais comuns são o maple canadense, o marfim e a fibra ( marfim com fiberglass), porque esses materiais tem maior resistência e durabilidade.

Possuem  7 lâminas bem prensadas e tem diversos tamanhos e moldes. Na Amee tem 4 tamanhos disponíveis: 7,75 ” , 8″ , 8,25″ e 8,5″ com concave leve e nose e tail mais redondos.

 

O QUE SÃO SHAPES DE MARFIM:

Marfim são as madeiras típicas da America do Sul e suas lâminas são selecionadas e tratadas. Ele é bom na resistência com elasticidade da madeira, o marfim tem por originalidade uma madeira flexível , o que evita quebrar com facilidade. Por ser da America do Sul, facilita sua compra e é o shape mais comum em nosso país. Hoje as empresas que produzem shapes tem o maquinário certo e moderno dando um bom acabamento  e deixando os shapes bem prensados.

 

O QUE SÃO SHAPES DE FIBRA  –  MARFIM COM FIBERGLASS :

 Tem a mesma construção do shape de marfim,7 lâminas de madeiras,  porem tem uma camada de fibra de vidro entre as laminas ou por cima da capa do shape o que mais mais durabilidade e deixa o shape mais leve.  A fibra vem para dar a resistência e deixar o shape com o pop duradouro.O peso fica bem próximo do maple.

Os da Amee são todos feitos em fibra. Desde do nosso primeiro shape usamos o fiber glass ( fibra de vidro) e é por isso que todos que usam o shape gostam! É resistente, leve e dura por varias sessões !!

 

shapes de marfim com fiber glass ( fibra )

O QUE SÃO SHAPES DE MAPLE

As madeiras de maple são originarias do Canadá ( por isso maple canadense) e são mais resistentes e leves, porem são mais secas. Outro detalhe é que como são importadas, acabam tendo um preço bem maior comparado aos shapes de marfim. Os shapes de maple da Amee , logo estarão disponíveis no site

 

QUAL TAMANHO DE SHAPE USAR?

Existem muitos tamanhos de shapes, mas na AMEE SKATE trabalhamos com 4 :

7,75″ – 20 cm
8″ – 20,5 cm
8,25 – 21 cm
8,5″ 21,5 cm

Para quem esta começando e quer saber qual tamanho de shape usar, sempre é levado em conta o tamanho do pé para a escolha do shape. Mas o bom é experimentar  e perceber qual tamanho você se adapta melhor e, em quais manobras, o tamanho do shape pode te ajudar. Vai muito da sua adaptação.

 

LUDDY LOURENÇO- shape 8”

 

João Lucas Shape 8,25″

 

Mais shapes aqui

 Loja da Amee

POr: Amee Skate Arte

A pandemia foi (e esta sendo) difícil para todos e no skate não foi diferente! Eventos paralisados, locais para a pratica do skate fechados e aquela tensão no ar.

Mas por um outro lado teve uma reformulação nos formatos tradicionais expandindo o olhar, criando novas experiências sobre o tradicional ( como é o caso de campeonatos realizados em locais físicos) e tirando muitos do conforto … Dificuldades que se transformaram em arte.

 

Luddy Lourenço – Manobra tirada do video produzido para o evento virtual MTZ Pro On 21 e foto dela lesionada durante as gravações. foto e filmagem: Ana Clara

 

Luddy Lourenço,  skatista da equipe da Amee Skate aproveitou bem esse período e participou de muitos eventos nesse novo formato:  STU on Tour, Slides & Grinds,  1º campeonato aberto em Goiânia e filmou para a seleção de imagens para o video de 15 anos do Divas em parceria com  Vans ” Brilha e junto com o João Lucas, skatista do time da Amee e editor, concorreram a ” melhor video parte” no Matriz Skate Pro On 2021, que teve a categoria feminina pela 1ª vez.

O Matriz Skate Pro ON é um evento de vídeos, dividido em categorias, que busca valorizar elementos super importantes do skate de rua: a videoparte, o back2back, fotógrafos e videomakers.

Fomentando não só os skatistas como também os ” profissionais do skate” que também são importante e essencial para a cena.

 

Luddy teve 2 parcerias nesse evento do Matriz:

 •   Melhor video parte que ela teve parceria na edição do João Lucas  que teve um resultado incrível apesar de todas as dificuldades:

 

  • E melhor fotografia em parceria com a fotografa Graci Santiago que ficou entre as 10 finalistas.
Fotografa: Graci Santiago  /  Luddy Lourenço –  Fakie nose grind

 

 

Luddy, Como foi a experiência de filmar para o Matriz?
  Foi doido participar. A vibe e adrenalina de andar na rua, filmando uma vídeo parte foi massa. Foi tenso quando torci o pé, tentei fortalecer de todas as formas possíveis.
Mesmo quando eu estava no banco da praça, fila de mercado, qualquer lugar, eu levava meu elástico e ficava fazendo exercícios. Nos momentos que dava para fazer, estava fazendo!
Fiquei umas semanas sem andar, depois de 20 dias fui tentar dar um Ollie, não deu bom! Continuei pensando que ia dar certo terminar a part a tempo, até que depois de 20 e poucos dias eu consegui já mandar algumas manobras e finalizar.
Sobre a foto do matriz pro eu fiz no mesmo dia que tinha que entrega o vídeo Hahahah
 Você fez tudo no período de isolamento. Isso foi difícil ou te ajudou ?
   No início dessa pandemia eu fiz todo procedimento de ficar em casa, andei de skate dentro de casa, até montei um caixote para mim. Mas depois de alguns meses comecei a voltar para as pistas de skate, usava máscara e seguia a higiene. Acabou não sendo tão difícil, sempre pensei positivo e acreditei que tudo ficaria bem, isso me ajudou a lidar com essa pandemia.
Qual foi o maior desafio nesse período de pandemia?
 Tive vários desafios, mas vou falar do mais recente! Foi fazendo a vídeo parte do Matriz PRO. Tinha um mês e pouco para ficar pronto e cada dia a meta era uma manobra, depois de 7/8 dias eu acabei lesionando o tornozelo com uma trick no pico e fiquei quase 20 dias sem poder andar de skate e 1 semana sem caminhar, só deitada na cama. E todos os dias colocava gelo, fazia exercícios, até em filas de mercado eu estava lá com meu elástico hahah. E faltando 10/9 dias para encerrar, eu consegui finalizar minha vídeo parte.
 Entreguei o vídeo faltando 1 minuto para acabar o prazo, muito louco! tive uma vivência muito legal e de aprendizado.
 João, como foi fazer a edição do vídeo da Luddy para o Matriz Pro On?
Foi corrido, devido a lesão da Luddy alguns meses antes. A maioria das manobras foram filmadas próximas da data limite de envio do vídeo para o campeonato. A edicão final foi feita junto com a Luddy numa chamada de whatsapp no último dia da entrega para poder adicionar as manobras finais. Foi corrido, mas valeu a pena!

Arte usada para o vídeo .
João fez essa arte inspirado na lesão da Luddy

Por: Amee Skate Arte

  Para quem estava com saudades das Olimpíadas e de ver os medalhistas Olímpicos Rayssa Leal e Kelvin Hoefler vai curtir vê-los novamente no Street League ( SLS), o campeonato mais clássico do skate street, nos dias 27 e 28 de agosto de 2021 na cidade Salt Lake com grandes nomes do skate mundial e com os brasileiros: Pamela Rosa, Leticia Bufoni, Marina Gabriela, Gabriela Mazeto, Luan Oliveira, Carlos Ribeiro, Gustavo Felipe, Tiago Lemos, Lucas Rabelo e Filipe Mota…. Timinho pesado!!

 

   O campeonato vai passar nas plataformas da Globo ( Globo Play e SportTv2 ou 3).
 Sabiam que o modelo de competição usado nas Olimpíadas foi tirado do Street League?

Pista do Street League feita pela empresa brasileira CaskateParkBrasil

 

 

 

 Sobre o SLT

Street League Skateboarding (SLS) é uma competição  de skatistas profissionais na modalidade street. A competição é a primeira do mundo neste formato de 3 voltas de 40 segundos e 5 melhores manobras , o best trick. Inclusive foi este formado que foi adotado pelas Olimpiadas.
  Fundada em 2010 pelo skatista americano Rob Dyrdek, é um dos maiores campeonatos de skate do mundo.

A empresa Thrill One Sports and Entertainment é a atual proprietária da Street League Skateboarding.A empresa de desenvolvimento de conteúdo envolvida no meio esportiva, estando também relacionada em projetos que visam o estilo de vida.[3]



Por : AMEE Skate Arte

E começa o primeiro “Trocas de Base” programa de entrevista da Amee Skate Arte em parceria com a WOArte apresentado pelo skatista e editor João Lucas Teixeira.

Recebemos Rafaela Catarina e Luca Tuã da companhia catarinense de circo Cia Circo-íris para uma conversa sobre o trabalho deles que une skate, circo, teatro e trabalhos sociais. 

Conversamos sobre a história e projetos atuais da Circo-íris, a escolinha de skate da companhia, que tem maioria feminina e rompe paradigmas numa cidade do interior do SC, sobre a importância da arte na sociedade e como nós artistas podemos nos organizar para a construção de um mundo melhor, mais justo e com mais igualdade.

Batemos um papo também sobre o “Alimente Nossa Graça”, projeto de financiamento coletivo da companhia e sobre a situação atual da cultura no Brasil e da realidade dos trabalhadores da cultura que sofrem com o isolamento, pandemia e desmonte das instituições de apoio e fomento à cultura.

Assuntos abordados:

01:07 – História da Cia Circo-íris

5:06 – O skate no cotidiano da companhia

13:45 – A escolinha de skate da Cia Cio-íris e as mudanças que o skate traz pra sociedade em que ele está inserido

15:42 – Trabalho comunitário e parcerias entre artistas e comunidade para um mundo melhor

22:55 – Dificuldades dos trabalhadores da cultura, artistas de rua num cenário pandêmico e Lei Aldir Blanc

32:00 – Evento Circo na Rua e importância do investimento e mobilização nas estruturas que mantém as cenas culturais

41:00 – “Alimente Nossa Graça” projeto de financiamento coletivo da Cia Circo-íris

51:42 – Futuro da Cia Circo-íris

Palhaça Pechincha e Palhaço Grapixo em seu (atual) habitat natural, a sede da Circo-íris em Canelinha-SC.
Foto: Isadora Manerich
Mudando o mundo através do skate, o Palhaço Grapixo de Luca Tuã, trabalha com o skate como instrumento de palco, de performance, como algo múltiplo e resignificado. Foto: Acervo Circo-íris
Evento Circo na Rua realizado pela companhia. Foto: Isadora Manerich
A escolinha de skate da Cia Circo-íris tinha maioria de alunas meninas! Hoje a escolinha ainda não voltou às atividades pelas dificuldades da pandemia, mas os skates estão com os alunos, que continuam praticando em casa por conta própria. Foto: Acervo Cia Circo-íris.
Os tempos atuais não estão fáceis para os artistas, temos que nos multiplicar pra arcar com todas as demandas do teletrabalho, a palhaça Pechincha da Rafaela Catarina fotografada por Isadora Manerich
Foto por Isadora Manerich 

COLABORE com o financiamento coletivo da Cia Circo-íris:
Clique e ajuda

www.ciacircoiris.com.br/alimentenossagraca

Links:

Cia Circo-íris:

site: www.ciacircoiris.com.br/

insta: www.instagram.com/ciacircoiris/

facebook: www.facebook.com/ciacircoiris

Confira a programação do Circo na Rua 2021:
Clique Aqui

Siga a Amee nas redes sociais:

insta: www.instagram.com/ameeskate/

facebook: www.facebook.com/AMEEskate

Siga a WOArte nas redes sociais:

insta: www.instagram.com/woarte/

Produzido por Amee Skate Arte e WOArte

Roteiro, apresentação e edição:

João Lucas Teixeira – insta: @joaolucasrt

Arte Gráfica:

Tat Marques – insta: @tatmarques

WOArte – insta: @woarte

Agradecimentos:

Isadora Manerich – insta: @isadoramanerichfotografia

Amee Skate Arte – insta: @ameeskate

Cia Circo-íris – insta: @ciacircoiris

Entre muitas discussões e reprovações do skate nas Olimpíadas eis que chegou o momento: O skate esta nas Olimpíadas e ainda é a promessa de ouro para o Brasil!

As Olimpíadas em Tóquio 2021 vai ter sua estreia ( cerimônia ) no dia 23 de julho as 8h da manhã e o skate vai ser no dia 25 de julho as 9h ( horário do Japão) .Vai ser transmitido nos canais da Esport Tv e na Globo.

Mas quem são os skatistas que vão participar?

Esta dividido em 2 modalidades: o street e o park e cada modalidade terão 6 skatistas ( 3 masculinos e 3 femininos) no total de 12 skatistas profissionais!

Na modalidade do Street :
_ Leticia Bufoni – SP
_ Pamela Rosa -SP
_ Rayssa Leal – MR
_ Kelvin Hoefler – SP
_ Felipe Gustavo (Bochecha) – DF
_ Giovanni Vianna – Santo Andre- SP

Na modalidade Park :
_ Yndiara Asp – SC
_ Dora Varela – SC
_ Isadora Pacheco – SC
_ Pedro Barros – SC
_ Luiz Franscisco
_ Pedro Quintas

Qual a principal chance de medalha do skate brasileiro?

O street feminino é o grande carro-chefe do Brasil nessas Olimpíadas e principal modalidade com chance de medalha. O país conta três skatistas entre as quatro melhores do ranking: Pamela (1º), Rayssa (2º) e Leticia (4º). As três possuem chance de pódio, embora seja complicado que as três conquistem medalhas.

O street masculino brasileiro tem como principal candidato à medalha, Kelvin Hoefler, o então quarto colocado no ranking mundial. Ainda compõem a equipe os atletas Felipe Gustavo e Giovani Vianna, mas 17º e 19º no ranking, respectivamente.

Por outro lado, no park feminino, o brasil é composto por Yndiara Asp, Isadora Pacheco e Dora Varella. Ambas não chegaram à final do Mundial de 2021, mas podem ser surpresas na competição. Dora Varella é a melhor posicionada no ranking, em 9º. Isadora Pacheco é a 11ª, enquanto Yndiara Asp está em 14º.

Por fim, no park masculino, o Brasil também surge como um fortíssimo candidato à medalha. O país terá Luiz Franscisco e o multicampeão Pedro Barros, que então ocupam terceiro e quarto no ranking, respectivamente. Completa a equipe o skatista Pedro Quintas, bronze no Mundial de 2019, mas atual 10º colocado do ranking.



Por: Amee Skate
Fontes: CDI
CBSK
Canal OFF

Leticia Bufoni, Nyjah Huston, Sky Brown, Bryce Wettstein, Tiago Lemos, Dennis Enarson and Jackson Strong são alguns dos atletas a participarem dessa edição de 14 a 18 de julho de 2021 pela ESPN.
O X Games é o evento mais respeitado no universo dos esportes radicais sendo considerado a “Os Jogos Olímpicos dos esportes radicais”. E desde de 24 de junho de 1995, onde teve seu 1º evento nos Estados Unidos.
Ele é dividido em 2 etapas no ano: O winter X Games ( em janeiro e fevereiro) e o Summer X Games ( julho/agosto) e é um evento exclusivamente transmitido pela ESPN.

X Games 2021

Depois de 2020 sem competição de verão o X Games retorna ao berço dos esportes de ação no sul da Califórnia em 2021 para hospedar os melhores atletas de BMX, Skate e Moto X do mundo com uma nova reviravolta. Atletas incluindo Nyjah Huston, Sky Brown, Bryce Wettstein, Letícia Bufoni entre outros competirão no X 2021 antes de seguir para Tóquio para a estreia do skate nas Olimpíadas.

Grandes nomes brasileiros Leticia Bufoni, Pamela Rosa, Rayssa Leal, Karen Jones, Felipe Gustavo, Kelvin Hoefler e Luan Oliveira, Augusto Akio, Gui Khury, Luigi Cini, Marcelos Bastos, Rony Gomes, Sandro Dias e Bob Burnquist, Edgard Vovô entre outros! Nesta edição vão participar: a Virginia Fortes, Isabelle Avila, Leticia Bufoni, Augusto Akio, Tiago Lemos, Gui Khury e Gabriel Fortunato.


Os X Games sempre “trazem” manobras novas como o “The 900” de Tony Hawk  no skate vertical, Anthony Napolitan com o primeiro Double Frontflip (Duplo Mortal de Frente) no BMX,Travis Pastrana com o Double Backflip (Duplo Mortal de Costas) no Freestyle Motocross, Torstein Horgmo ‘s sendo o primeiro a acertar o triple cork no snowboard, Levi Lavallee com o Double Backflip na modalidade de Freestyle Snowcross, etc. O local do Winter X Games é em Aspen no Colorado até 2012, e do Summer X Games é em Los Angeles.

A programação da transmissão do X Games 2021 na ESPN, ABC e ESPN2 é atualizada na programação aqui. O X Games 2021 também é transmitido ao vivo no Facebook, Twitter, YouTube e TikTok para espectadores nos Estados Unidos e nos serviços de streaming online da ESPN em todo o mundo. Todas as competições também estarão disponíveis no aplicativo ESPN.

Modalidades no
Summer X Games:

Motocicleta

  • Moto X Super X
  • Moto X Speed & Style
  • Moto X Best Whip
  • Moto X Best Trick
  • Moto X Freestyle
  • Moto X Enduro X
  • Moto X Step Up
  • Moto X Adaptive

Rally

  • Rally Car Racing.
  • Rally Car SuperRally.

Skateboard

  • Big Air!
  • Vert
  • Park
  • Street
  • Best Trick

BMX

  • Freestyle Vert
  • Freestyle Park
  • Freestyle Street
  • Freestyle Big Air

Fonte:
ESPN, Wikipédia

 No dia 8 de maio, às 15h, vai rolar uma live sobre a maternidade e o skate no YouTube do @divaskateras sobre os temas:

• A solidão materna

• A mãe e o mercado de trabalho

• A mãe e o retorno à sociedade enquanto mulher

  Com as convidadas: Tat Marques , Rayane Oliveira, Hanna Carneiro e Gabriela Lobato

com mediação da Renata Oliveira.

 

 Com mediação de Renata Oliveira @renataoliveira .

Arte: @tat_marques

Veja a live aqui:

Lizzie Armanto foi a primeira mulher a completar o looping no skate.


Assita aqui : 

Lizzie Armanto é skatista profissional e também assina produtos pela Vans.
 é uma das melhores skatistas na categoria vertical e já foi capa da Thrasher

Lizzie Armanto -2019

Mais sobre o looping:

Existe a lenda de que Duane Peters completou o looping na década de 70. Não existem provas, só a palavra dele e mais alguns “cúmplices”.

No final da década de 90 Tony Hawk completou e foi devidamente registrado, numa missão secreta, com uma rampa montada dentro de uma arena de touradas no México.

Desde então, muitos skatistas tem tentado completar o looping, mas poucos acertaram. Vários se machucaram seriamente!

O looping não é brincadeira.

Além do Tony Hawk, Bob Burnquist é outro cara que pode ser considerado o mestre do looping.

Bob foi o primeiro a fazer o looping de switch. E depois montou um looping com gap no seu quintal. Em 2003, ele conseguiu a proeza de acertar um looping num fullpipe.

Lizzie completou o loop num evento domingo, o “Tony Hawk`s Loop Challenge Live”.

Alguns convidados, entre eles os filhos de Hawk, Riley e Keegan, tentaram. Mas só Lizzie, Charlie Blair e Jeromy Green acertaram.

Fonte: Skataholic

Para chegar ao patamar mais alto do skate é preciso dedicação, muita dedicação. Horas, dias, anos de treinos (e muitos tombos). Praticar qualquer outra atividade além do skate é um desafio e tanto, mas há quem consiga se sair bem também em um segundo esporte. Lembramos aqui de 4 skatistas que são boas em outras modalidades.

fonte: Red Bull 

Leticia Bufoni

Leticia era tão boa no futebol quanto no skate. Até chegar o momento de decidir entre os dois esportes. O tema foi até abordado na série Until 18 (assista no player abaixo). “Foi o momento que eu fiquei mais confusa na minha vida”, diz Leticia sobre a escolha. “Eu queria muito jogar futebol profissional, mas eu também queria conseguir viver do skate”, lembra.

Cara-Beth Burnside

 Ela entrou para a história por ser a primeira mulher a estrelar a capa da prestigiada revista “Thrasher”, em agosto de 1989. Em 2003, realizou outro feito inédito ao assinar um modelo de tênis pela Vans. Mas os feitos da Cara-Beth não param por aí: ela também foi membro da equipe de snowboard dos Estados Unidos e quase foi ao pódio nos Jogos de 1998, em Nagano. Terminou em quarto lugar.

Yndiara Asp

Outra skatista brasileira do primeiro escalão mundial, Yndi é conhecida pela potência nas transições, além de conseguir transferir as habilidades e o flow do concreto para as ondas. “Eu agradeço ao surfe por permitir me conectar com a natureza de uma forma tão única”, diz.

 
Yndiara surfando

Lyn-Z Pastrana

Lyn-Z Pastrana, é uma das melhores do mundo no skate vertical e casada com Travis Pastrana, um ícone do esportes a motor. Foi a primeira mulher a dar um 540 ( veja aqui ). Juntos, o casal gosta de andar de bicicleta em picos incríveis e inacessíveis, onde só é possível chegar de helicóptero.  

Pin It