Tag

skate feminino

Browsing

Entre muitas discussões e reprovações do skate nas Olimpíadas eis que chegou o momento: O skate esta nas Olimpíadas e ainda é a promessa de ouro para o Brasil!

As Olimpíadas em Tóquio 2021 vai ter sua estreia ( cerimônia ) no dia 23 de julho as 8h da manhã e o skate vai ser no dia 25 de julho as 9h ( horário do Japão) .Vai ser transmitido nos canais da Esport Tv e na Globo.

Mas quem são os skatistas que vão participar?

Esta dividido em 2 modalidades: o street e o park e cada modalidade terão 6 skatistas ( 3 masculinos e 3 femininos) no total de 12 skatistas profissionais!

Na modalidade do Street :
_ Leticia Bufoni – SP
_ Pamela Rosa -SP
_ Rayssa Leal – MR
_ Kelvin Hoefler – SP
_ Felipe Gustavo (Bochecha) – DF
_ Giovanni Vianna – Santo Andre- SP

Na modalidade Park :
_ Yndiara Asp – SC
_ Dora Varela – SC
_ Isadora Pacheco – SC
_ Pedro Barros – SC
_ Luiz Franscisco
_ Pedro Quintas

Qual a principal chance de medalha do skate brasileiro?

O street feminino é o grande carro-chefe do Brasil nessas Olimpíadas e principal modalidade com chance de medalha. O país conta três skatistas entre as quatro melhores do ranking: Pamela (1º), Rayssa (2º) e Leticia (4º). As três possuem chance de pódio, embora seja complicado que as três conquistem medalhas.

O street masculino brasileiro tem como principal candidato à medalha, Kelvin Hoefler, o então quarto colocado no ranking mundial. Ainda compõem a equipe os atletas Felipe Gustavo e Giovani Vianna, mas 17º e 19º no ranking, respectivamente.

Por outro lado, no park feminino, o brasil é composto por Yndiara Asp, Isadora Pacheco e Dora Varella. Ambas não chegaram à final do Mundial de 2021, mas podem ser surpresas na competição. Dora Varella é a melhor posicionada no ranking, em 9º. Isadora Pacheco é a 11ª, enquanto Yndiara Asp está em 14º.

Por fim, no park masculino, o Brasil também surge como um fortíssimo candidato à medalha. O país terá Luiz Franscisco e o multicampeão Pedro Barros, que então ocupam terceiro e quarto no ranking, respectivamente. Completa a equipe o skatista Pedro Quintas, bronze no Mundial de 2019, mas atual 10º colocado do ranking.



Por: Amee Skate
Fontes: CDI
CBSK
Canal OFF

 No dia 8 de maio, às 15h, vai rolar uma live sobre a maternidade e o skate no YouTube do @divaskateras sobre os temas:

• A solidão materna

• A mãe e o mercado de trabalho

• A mãe e o retorno à sociedade enquanto mulher

  Com as convidadas: Tat Marques , Rayane Oliveira, Hanna Carneiro e Gabriela Lobato

com mediação da Renata Oliveira.

 

 Com mediação de Renata Oliveira @renataoliveira .

Arte: @tat_marques

Veja a live aqui:

Para chegar ao patamar mais alto do skate é preciso dedicação, muita dedicação. Horas, dias, anos de treinos (e muitos tombos). Praticar qualquer outra atividade além do skate é um desafio e tanto, mas há quem consiga se sair bem também em um segundo esporte. Lembramos aqui de 4 skatistas que são boas em outras modalidades.

fonte: Red Bull 

Leticia Bufoni

Leticia era tão boa no futebol quanto no skate. Até chegar o momento de decidir entre os dois esportes. O tema foi até abordado na série Until 18 (assista no player abaixo). “Foi o momento que eu fiquei mais confusa na minha vida”, diz Leticia sobre a escolha. “Eu queria muito jogar futebol profissional, mas eu também queria conseguir viver do skate”, lembra.

Cara-Beth Burnside

 Ela entrou para a história por ser a primeira mulher a estrelar a capa da prestigiada revista “Thrasher”, em agosto de 1989. Em 2003, realizou outro feito inédito ao assinar um modelo de tênis pela Vans. Mas os feitos da Cara-Beth não param por aí: ela também foi membro da equipe de snowboard dos Estados Unidos e quase foi ao pódio nos Jogos de 1998, em Nagano. Terminou em quarto lugar.

Yndiara Asp

Outra skatista brasileira do primeiro escalão mundial, Yndi é conhecida pela potência nas transições, além de conseguir transferir as habilidades e o flow do concreto para as ondas. “Eu agradeço ao surfe por permitir me conectar com a natureza de uma forma tão única”, diz.

 
Yndiara surfando

Lyn-Z Pastrana

Lyn-Z Pastrana, é uma das melhores do mundo no skate vertical e casada com Travis Pastrana, um ícone do esportes a motor. Foi a primeira mulher a dar um 540 ( veja aqui ). Juntos, o casal gosta de andar de bicicleta em picos incríveis e inacessíveis, onde só é possível chegar de helicóptero.  

Após anunciar que a Nike havido rompimento unilateralmente o contrato de patrocínio, a Confederação Brasileira de Skate renovou com a marca por mais um ano, contemplando assim os Jogos Olímpicos de Tóquio.

“O contrato entre Nike e CBSK, com vigência até dezembro de 2020, foi estendido e cobrirá os Jogos Olímpicos de Tóquio, garantindo que a Seleção Brasileira de Skate continue recebendo os uniformes e equipamentos necessários para competir em alto nível”, destacou a empresa em comunicado.

Anteriormente, a CBSk ( Confederação Brasileira de Skate) se viu obrigada a prospectar uma nova parceira em meio à preparação para os Jogos de Tóquio. Com o adiamento do evento, a própria marca americana renovou seus acordos com as confederações de atletismo e basquete, que iriam até dezembro de 2020.

Carlos Ribeiro com o uniforme da Seleção Brasileira de Skate.

Estreante nos jogos que serão realizados na capital japonesa, cada país pode levar até três atleta por modalidade (park e street) e por genêro (masculino e feminino). Assim, o Brasil tem grandes chances de conseguir medalhas porque alguns dos melhores skatistas do mundo são brasileiros, tanto no masculino como no feminino que é o caso da Rayssa Leal de apenas 13 anos de idade.

Rayssa Leal com o uniforme do Brasil e Paul Rodriguez com o uniforme dos USA.
Ishod Wair com o uniforme da França.

por: Amee Skate Arte

fonte: MKTEsportivo

Achou que o Matriz não ia rolar em tempos de pandemia? Achou errado! 

Vans Apresenta: 

Matriz Skate Pro ON

O Matriz Skate Pro ON On é um campeonato online de vídeos que busca a valorização do skate de rua em sua essência, mostrando que dá pra confraternizar à distância e ver skate em alto nível até em épocas de pandemia valorizando skatistas, videomakers e fotógrafos, com premiação total de R$ 37.000,00.

Quem pode participar?

O Matriz Skate Pro ON On é dividido em 2 categorias:

Masculino Pro e Feminino Open.

Ou seja, para homens, só os SKATISTAS PROFISSIONAIS poderão participar e para as mulheres as inscrições são válidas para AMADORAS E PROFISSIONAIS.

Serão 5 grandes modalidades de premiação e R$37.000 reais em premiação! 

As inscrições são feitas através do site www.matrizskate.com.br/matriz-pro-on.

Melhor vídeo: 

A videoparte é um dos pilares da carreira do skatista e aqui a gente quer ver as suas melhores manobras! A duração dos vídeos deverá ser de no mínimo 35 segundos e no máximo 3 (três) minutos e meio. Confira nosso blog para mais informações de formatos do seu vídeo.

Prêmios para primeiros, segundos e terceiros lugares tanto para masculino quanto para feminino. Os valores das premiações serão divididos em 70% para o skatista e 30% para o(a) videomaker(s). 

Masculino (Skatista + Videomaker(s))

1º R$5.000,00

2º R$2.500,00

3º R$1.500,00

Feminino (Skatista + Videomaker(s))

1º R$5.000,00

2º R$2.500,00

3º R$1.500,00

Diamond Back2Back:

Acertar uma manobra já é bom. Ver outro skatista voltando uma depois da sua é melhor ainda! Aqui serão vídeos com 2 (dois) skatistas em manobras sequenciais no mesmo vídeo, sem corte na edição.

Prêmios para primeiros, segundos e terceiros lugares tanto para masculino quanto para feminino. Nessa modalidade, os prêmios são divididos meio a meio (50%) para cada skatista no vídeo. 

Masculino (Skatista + Skatista)

1º R$2.000,00

2º R$1.500,00

3º R$1.000,00

Feminino (Skatista + Skatista)

1º R$2.000,00

2º R$1.500,00

3º R$1.000,00

 Melhor fotografia:

O skate não seria o que é hoje sem os registros e, nessa modalidade, queremos incentivar as boas memórias de cada sessão! Melhor foto premia a foto que mais se destaca e que acompanha as sessões dos vídeos da competição. 

Melhor Foto: R$ 2.000,00

Premiações Extras *

*Quem participa da modalidade “melhor vídeo” automaticamente participa das premiações a seguir: 

Red Bull Trick Final: 

Os(as) skatistas mais respeitados(as) pela cena são os(as) que lançam as melhores videopartes. A melhor manobra (a bomba) geralmente é guardada para encerrar o vídeo funcionando como uma “chave de ouro”. Isso é clássico e inovador pois puxa o nível e a evolução do skate. 

Pensando nisso a Red Bull criou o Red Bull Trick Final especialmente para o Matriz Skate Pro ON, um desafio que busca a melhor manobra de encerramento de vídeo.

Red Bull Trick Final

Masculino: 1º R$2.000,00

Feminino: 1º R$2.000,00

Melhor edição de vídeo: 

Os vídeos não ficam na nossa memória somente pelas manobras: a edição também faz a videoparte ser eterna! O Matriz Skate Pro ON On também premia edições que se destacam na competição e que fazem as videopartes serem ainda mais memoráveis.

Melhor edição de vídeo:

1º R$1.500,00

2º R$1.000,00

3º R$500,00

Essa é a primeira edição online dos campeonatos do Matriz Skate Pro ON devido ao momento de pandemia mundial que vivemos. Esperamos que nos próximos anos possamos estar juntos novamente celebrando este e outros momentos do skate brasileiro!

BANNER DIVULGAÇÃO

Nos vemos online!

#MatrizSkateProOn

@MatrizSkatePro

O Matriz Skate Pro ON é apresentado por Vans Brasil, com patrocínio de Red Bull, Diamond, Grizzly, LRG Sigilo, e produção da VISTA. 

Por: Divulgação

Texto: Estefania Lima ( @estefanialima )

A Amee Skate Arte e Divas Skateras anunciam collab inédita celebrando o poder feminino no mês de março.

Video de lançamento da nova collab da Amee com o Divas Skateras

Quando se fala de skate feminino no Brasil é difícil não lembrar da comunidade Divas Skateras, que se tornou uma das grandes referências por incentivar e unir mulheres skatistas em todo país há 15 anos.

Quando falamos em produtos pensados para essas mulheres skatistas é igualmente pouco provável que não se pense em Amee Skate Arte, marca essa que surgiu devido a uma carência no mercado de skate feminino.

Amee e Divas uniram forças e histórias em uma collab lançada recentemente. Apresentam camisetas e shapes, nomeados de “Sim! Nós podemos”, contendo a identidade de ambas, como por exemplo, o tom amarelo clássico do Divas e as ilustrações com as características da Amee: o olho e o estilo cartoon.

ilustração da collab

Quem acompanha as duas marcas sabe que elas vêm juntas contribuindo com o florescimento da cena nacional e esse é um resultado de anos de parceria.

A Amee sempre apoiou as mulheres tanto no skate como na arte. Já passaram nomes fortes pela Amee, como a skatista profissional Ligiane Xuxa que assinou o primeiro pro model da marca, um feito inédito no skate feminino. Pipa Souza, Nati Niggli que foram as primeiras skatistas da marca, mais tarde a Lorena Fernanda .E uma collab com a artista plástica Silvana Mello que resultou em 2 shapes incríveis!

Hoje continua a trabalhar com mulheres fantásticas, a nova skatista Luddy Lourenço, do DF e a Lua Marinho que fez as animações do vídeo desta collab com o Divas. É uma marca de skate sem gênero, com muitos homens envolvidos no processo e como skatistas da marca, porém, sente a necessidade dessa inclusão da mulher no mercado do street/skate/arte que já vem acontecendo mas pode melhorar.

“Estamos trabalhando nessa collab há algum tempo, foram madrugadas adentro criando algo relevante para entregar ao skate feminino. Queremos homenagear e honrar toda trajetória das skatistas, desde as pioneiras às atuais, que contribuíram e contribuem para o skate feminino chegar até aqui. Comecei a andar de skate tendo Tat Marques (criadora da Amee) como uma das minhas referências, Tat me ajudou a florescer e hoje juntas podemos ajudar outras a florescerem nesse jardim. Queremos reforçar que Sim! Nós podemos, todas em comunhão então, podemos muito mais! Está sendo um momento muito especial e de reflexão para nós.” explica Estefania Lima, fundadora Divas Skateras.

Luddy Lourenço

“A Amee e o Divas têm muito em comum: a inclusão da mulher no skate. Todas podem se sentir acolhidas por nós, independente de idade, região, nível e modalidade. O desenho dessa collab representa isso, uma flor adaptável, forte e resistente com os braços abertos. A Amee sempre admirou e apoiou o Divas Skateras que há anos faz esse trabalho de acolhimento das mulheres no skate, isso nos inspira a continuar a lutar junto com outras companheiras. Essa parceria saiu em um momento muito especial: no mês da mulher e no ano que o Divas completa 15 anos. É muita história e muito respeito.” diz Tat Marques, criadora da Amee Skate Arte.

Edicão video: Joao Lucas Teixera ( @joaolucasrt)
Ilustração : Tat Marques ( @tat_marques )
Revisão texto: Renata Oliveira ( @_oliveli )
Animação : Lua Marinho ( @luamarinho)
Imagens Luddy: Antonio Tegethoff ( @antonio_tegethoff ) e Matheus Rodrigues ( @breezzeblock)

Luddy Lourenço agora faz parte da Amee Skate Arte!

Luddy Lourenço, 21 anos de idade, skatista há 5 anos e local Brasília – DF.⁣⁣
Um estilo único, discreto, que gosta de andar na borda e já é nítido sua paixão pelo carrinho e pelo life style que o skate proporciona.
⁣⁣

video de boas vindas editado pelo @joaolucasrt

O que o skate significa pra vc?
Luddy: Meu estilo de vida, algo que eu tenho certeza que quero viver. Subir no skate e só pensar na manobra e no pico onde quero andar, encontrar os amigos e fazer amizade nova.
Saber que você pode mais a cada dia e superar algo que alguém diz ser impossível, significa minha vida!

Quais manobras você mais gosta de mandar? 
Luddy: Nollie BS big spin, fifty saindo tudo out ( hahah ) e halfcab noseslide.

Pico do sonho?
Luddy: Andar na gringa, LA. 

O que vc enxerga para o futuro?
Luddy: Muita evolução, lançar minha vídeo part e poder estar andando lá fora.


Edição : @joaolucasrt 
Músicas:  @joaofavilla @alanaamonteiro @umn0rmal 
Filmagem: @anaclaradsr .

fakie 50-50 . Foto @bethaniasou
fakie 50-50 . Foto @bethaniasou
Ollie sobre o hidrante na Av.Paulista -SP- Foto @anaclaradsr

Por: Amee Skate Arte

O Game of Skate Global organizado pelo
Poseiden Foundation e The Berrics já está
chegando ao fim: o skate feminino girou seu
poder em todo o planeta durante um mês
repleto de skate para termos as representantes
deste grand finale!
São elas: María Arias (Venezuela), Boipelo
Awuah (South Africa), Margielyn Didal
(Philippines), Julia Brueckler (Austria), Chloe
Covell (Australia) e Cecely Todacheenie
(Sovereign Nations).
Neste sábado, 7 de novembro, as finais
acontecerão AO VIVO e você poderá assistir
essa transmissão pelo canal do The Berrics no
YouTube
(https://www.youtube.com/user/theberrics) entre
15h e 22h (horário de Brasília)

Junto com Daniela Skiter (Argentina), Martín
Mantek (Argentina), teremos Estefania Lima
(Brasil) fazendo parte do quadro de juízes.
Nossa representante brasileira, Kemily Suiara,
venceu duas batalhas emocionantes uma
contra Ana Maria Falla (Colombia) e outra
contra Annie Guglia (Canada), passou do Stage
1 (Eliminatórias) para o Stage 2 (Semi-finais)
onde María Arias se sobresaiu, mas Kemily
deixou todos envolvidos boquiabertos com seu
alto nível.
Parabéns a todas participantes e a toda
organização por todo empenho, que tornaram
possível este primeiro encontro mundial de
skate, foi uma incrível experiência.
Por Poseiden Foundation

Divas Skateras anuncia a representante brasileira para o Game of
S.K.A.T.E global realizado pelo Poseiden Foundation e The Berrics

Por @estefanialima

Há 12 anos acontece o Ladies Day, um encontro anual de skate feminino
da renomada Poseiden Foundation no The Berrics em Los Angeles,
Califórnia.
Por conta da Covid 19, e para não deixar passar em branco, este ano a
competição acontecerá online e apenas 16 participantes em todo globo
terrestre foram convidadas.
A pedido da Poseiden Foundation, o Divas Skateras ficou encarregado de
eleger a representante brasileira para essa batalha. Foi divulgado no
Instagram do projeto como seria feita essa seleção.

A vencedora do game of skate no Brasil para o Berrics
Kemilly Suiara – DF- foi selecionada através de uma seleção de vídeos para o Game of Skate Global no Berrics

Visando dar essa oportunidade a um dos vários talentos brasileiros ainda
desconhecidos a nível mundial, foi anunciado o nome de Kemily Suiara de
Brasília – DF, que respondeu o formulário e publicou seu vídeo com
manobras no solo usando a hashtag #ladiesdayBRA.

Essa foi a linha que rendeu a Kemily a participação no Game Of Skate do Berrics e a Poseiden


“Participar deste jogo me motivará a estar mais empenhada na minha
evolução, me dará mais visibilidade na cena, quem sabe até abrir novas
portas para poder viver do que eu amo e incentivar outras gerações do
skate feminino.” disse Kemily, skatista há 5 anos.

As finais serão transmitidas pelas plataformas do The Berrics, enquanto
isso acompanhem os resumos semanais através do IG
@poseidenfoundation.


Mais informações:
Poseiden Foundation

AMEE

Slow Photography (fotografia lenta) é um termo que descreve uma tendência na fotografia e nas artes contemporâneas. Em resposta à difusão da fotografia digital e do instantâneo, artistas e fotógrafos retomam técnicas manuais e métodos de trabalho para trabalhar mais devagar, manualmente e em diálogo constante com os materiais físicos das imagens.

Estamos vendo muito esta re-conexão mais profunda e menos artificial com os trabalhos artísticos em diversas areas.

Em 2017, percebendo que havia um número alto de mulheres skatistas na skatepark Emeryville, no norte da Califórnia, Jenny Sampson pensou em fotografar algumas delas.

Logo, Jenny SAmppson descobriu a organização Skate Like a Girl e participou de um de seus eventos.
“Lá, descobri um mundo totalmente novo para mim”, diz Sampson.
“São muitas skatistas.”

Briana
Carly, Samantha, Tabitha and Encinitas

Três anos depois de muitas visitas em skateparks e eventos na Califórnia, Washington e Oregon, Sampson está lançando Skater Girls, um livro de retratos das skatistas mulheres e não binárias, feito com colódio de placa molhada, uma técnica inventada em 1851.
Essa solução é aplicada a uma fina placa de metal, em uma câmara escura portátil, que é carregada na câmera ainda molhada.
O processo requer longos tempos de exposição e as pessoas tem que se manterem perfeitamente imóveis.
E como não são produzidos a partir de um negativo, os retratos geram diferentes e estranhos efeitos resultando em imagens invertidas.

Leo Baker
Kandice
Kristen and Holly

“Há uma conexão que ocorre quando eu os fotografo usando o esse processo lento”, diz Sampson.
“A prática fotográfica exige paciência, interação e colaboração.
“E reflete a paisagem inclusiva em que essas fotografias são feitas.

“Em última análise, apesar do tema contemporâneo e dos detalhes modernos, vemos uma honestidade única e ficamos impressionados com a força e determinação dessxs skatistxs.
“Elas são decididas e corajosas, abertas, brincalhonas e solidárixs.
“Admiro a luta respeitosa e perspicaz dxs skatitxs por um lugar no mundo.”

Ohmala
Lucia

Em seu prefácio para as Skater Girls, a Dra. Becky Beal, professora de cinesiologia na California State University East Bay, diz: “A coleção de fotos de Jenny Sampson nos incentiva a reexaminar nossas suposições sobre quem é skatista, reconhecendo a variedade de gênero expressões que são cultivadas e articuladas por meio do skate.”
“Acho as fotos de Sampson poderosas em sua representação das mulheres como complexas e confiantes.
“E eu os acho alegres por causa das formas abrangentes de identidade do skatista apoiadas nessas comunidades.

Yulin

“A livro de Sampson celebra o skate e, ao mesmo tempo, desafia as narrativas tradicionais de ‘autenticidade’, ampliando a noção do que significa ser um skatista.”

Referencia: site BBC

Por : Amee Skate Arte

Pin It